S.Salvador do Congo (1965/66)

49 comentários

Capital da província do Zaire, norte de Angola, esta cidade, antiga capital do reino do Congo, agora designada M´Banza Congo, foi conhecida por muitos militares que nesta província passaram parcial ou totalmente as suas comissões de 2 anos de guerra, que se iniciou em Angola a 15 de Março de 1961, precisamente nas províncias do norte, Zaire e Uíge.

Assim, há muita gente que ali esteve nos anos 60 e que ainda guarda recordações, boas e más, desta cidade, como é o caso do amigo Frias Gonçalves, um apaixonado pelas guitarras de Coimbra, sua terra natal.

É pois com imenso prazer que aqui se partilham algumas fotos da sua colecção para recordar tempos tão distantes que marcaram a vida de muitos militares portugueses.

Eram os tempos dos “The Beatles”, dos “The Bee Gees”, dos “The Rolling Stones” e talvez por essas influências foi formado o grupo de “Os cacimbados”, a que pertenceu o dono das fotos, melhor dizendo “The Kacymbados”, porque cacimbados havia muitos, produto da guerra a que fomos sujeitos.

A actuação dos “The Kacymbados” ocorreu em S.Salvador do Congo, numa festa/baile, organizada pelo M.N.F. (Movimento Nacional Feminino) cujos elementos aqui posam para a foto, podendo ver-se ao meio (a mais alta), a fundadora do MNF, Cecília Supico Pinto, que faleceu em 25 de Maio de 2011 com 89 anos de idade. O MNF foi muito importante para levar apoio e moralização às tropas que combatiam em África e festas como a que aqui se retrata ocorriam por diferentes ocasiões sendo o Natal uma delas. Ao MNF devem-se também outras iniciativas como a criação dos aerogramas, uma forma de comunicação grátis dos militares para as suas famílias e amigos e também a institucionalização das “madrinhas de guerra” que mesmo sem conhecer os destinatários escreviam cartas de apoio e houve também alguns namoros que deram em casamento com este “esquema”.

Claro que não há festa sem comes e bebes e aqui está o pessoal alegre e bem-disposto. Para os que tivessem alguma inibição a “Cuca” encarregava-se de resolver o problema.

Na sanzala de S.Salvador do Congo, o nosso amigo com duas crianças.

Uma das principais actividades das mulheres na sanzala é a utilização do pilão para transformar a mandioca em farinha, base da alimentação indígena. Com força de homem a farinha fica mais fina. O nosso amigo, dando uma mãozinha.

As cubatas de uma rua da sanzala, local que todos os militares conhecem, por ser de visita obrigatória. O que tem que ser tem muita força!

Agradecendo ao amigo Frias Gonçalves, para todos aqueles que gostam de guitarradas de Coimbra, como é o meu caso, pode visitar este site: “Guitarradas de Coimbra

Mário Mendes

49 thoughts on “S.Salvador do Congo (1965/66)

  1. Amigo Mendes
    Obrigado pela publicação,mas esqueceu-se de dizer que a dita rua da Sanzala,é a própria pista de aterragem (Aérodromo) que você bem conheceu.
    Se o avião tinha o azar de saír da pista,não sei o que seria,meu Deus.
    Até sempre.
    Frias Gonçalves

  2. Olá sou neste momento viúva do furriel Leandro e vivi em São Salvador de Dezembro de 1965 a Dezemdro de 66. Aterrei muitas vezes nesse campo de aviação. Tenho um grande albúm de recordações .Se alguém nos conheceu
    gostava que me contacta-se.

  3. Alguém recorda o Restaurante Kimpala ? A Casa Borges ? A minha juventude em férias e depois, como professora ,foi passada por aqui…..Saí em 66 para Lisboa….Alguém desse tempo ??????????Miette Borges

    • A Casa Borges ficava a seguir a Salvador Beltrão. Estive em S. Salvador de Janeiro a Dezembro de 1962, com permanência, também, na Fazenda Primavera e deslocações frequentes a Noqui e Ambrizete, passando pelo Quiende, Tomboco, Casa da Telha e muito mais. Pertenci à 4ª Companhia do BC3.

      • Certamente estivemos por perto…..Há um grupo no Face book “Amigos de S.Salvador ” que poderíamos partilhar.
        Sou filha do Sr Agostinho Borges .Abraço.

      • Foi com satisfação que li a resposta de Miette ao meu comentário. Passaram 54 anos, tanto tempo, mas parece que foi ontem. Tinha 21 anos, estava na flor da idade, como se costuma dizer. Quando cheguei a S. Salvador, para integrar a 4ª Companhia do BC3, da incorporação local e instalada frente ao Hospital, nas três ruas da ‘cidade’ (capital do distrito do Zaire) só não havia capim nos rodados dos carros. Algum tempo depois, chegou ali uma brigada das Obras Públicas com máquinas para proceder à limpeza e alguns arranjos. A cidade estava rodeada de arame farpado, com vários postos de defesa do lado de dentro (mais tarde, passaram para o lado de fora). Apesar de algumas situações mais complicadas, quando saímos, gostamos de recordar. Havia o Bar Azul e o Estrela do Congo, onde refrescávamos a sede de vez em quando. E na Casa Borges comprávamos os rolos para a máquina fotográfica e, outras vezes, pão quente, se a memória não me atraiçoa. Logo a seguir à casa que terá sido dos pais de Miette, ficava a Casa da Rainha, frente às ruinas da ‘catedral’ e do cemitério. Depois, perto da saída para Cuimba, havia o antigo Colégio das Madres. Muita coisa mudou, entretanto, pelo que tenho acompanhado à distância. São outros tempos. As melhores saudações!

      • Sim senhor ,o MG lembra-se de muitos locais de S.Salvador.Há uma ou outra confusão ,mas já lá vão tantos anos….Volto a dizer-lhe se tem Facebook, procure o Grupo Amigos de S.Salvador one estamos a gente de lá e temos fotos atuais daquela terra.Abraço.
        Miette

    • Vou procurar. Muita coisa mudou em M’Banza Congo. Repito, apesar dos problemas que tivemos de enfrentar resultantes da situação que se vivia em 1962, é bom recordar bons momentos que também tivemos. Os melhores cumprimentos!

    • De junho de 69 a julho de 71,fui lá muitas vezes,quando estava no Quiende e depois na Canga.No Kimpala era sempre um bom frango de churrasco regado com umas boas canecas de cerveja(canhangulos).Cumprimentos.

    • Oi tudo bem? Eu conheci a filha do dono do Kimpala eu era filha do sub chefe da polícia Felizardo cordeiro estudei nas madres missão católica me chamo Maria Rita casei com o Melo da força aérea Ela era muito legal só não lembro o nome dela será que você é a mesma pessoa? Entre no meu Facebook Maria Rita reboredo

  4. s.salvador do congo.bonita terra que recordo com saudades.cheguei la no dia 16 de agosto de 1970 e la permaneci ate principios de 1972.era condutor auto rodas .fiz parte da seccao de transportes (as diamonds)que estava estacionada no comando de setor junto a pista. um grande abraco e muita saude para todos os combatentes obrigado

    • camarada.
      Nesta data estive no comando de agrupamento, era conhecido pelo <pina e fazia a chamada para o nord-atlas, gostaria de entrar em contacto

  5. eu estive em são salvador do congo entre novembro de 1965 a janeiro de 1968 no p.a.d.1049 era cabo mecanico

    • olá Hernâni sou o furriel Rui Nogueira da Costa do reabastecimento de material que estive na mesma data no PAD 1049.
      Um grande abraço para si.

      • olá Rui é o Hernâni, como não sei como te posso contatar vou deixar o contato e assim se tornares a ler isto, contata me ou deixa o contato. Um forte abraço.

        o meu contato é 967135169

      • Olá rui. sou Queimado. Vamos fazer um encontro em Fátima ( por ser centro do país, não por outras razões que respeito em absoluto), no di 3 de julho 2016. Nesta data segue carta pelo correio.

  6. José António, estive no destacamento da Fap em SSalvador de 1970 a 73, era especialista operador telecomunicações e trabalhava na torre controle junto à pista.

  7. José Manuel,um dia ao fim da tarde, inicio da noite, nos fins de 1970 principio de 71 fui com o camiao a essa pista carregar bidoes de gazolina para abastecer helicopteros, algures no norte de Angola, por sinal, uma das viagens mais complicadas que fiz durante a minha comissao. Um abraço.

  8. Sou, o Rui António Frias Varela, 1º cabo escriturário, da S.S.C. do batalhão de caçadores, 4214, estive em Cuimba, e depois fomos para S. Salvador, no ano de 1974.O nosso major, era o Ramalho Eanes, que postriormente, veio a ser Presidente da República Portuguesa. Passei momentos maravilhosos, tanto em Cuimba, como depois, em S.Salvador. Quem me dera voltar 40 anos atrás. Saudações minhas para todos voçês, que tambem lá estiveram. Um abraço do sempre:Varela

  9. Ola amigos, lembram-se do general Luz Cunha segundo comandante da regiao militar de Angola?.Ele mais a sua esposa e filhos passaram a noite de consoada de 1970 juntamente connosco no simples refeitorio do comando de sector em S.Salvador.Um abraco amigo do Araujo mais conhecido pelo (MIRANDELA).

    • Amigos: Mais vale tarde do que nunca. Mas só agora dispus de tempo para pesquisar estes comentários. E aproveito para cumprimentar todos aqueles que passaram por tão dificeis sitios. No entanto, vou tentar ajudar a esclarecer algumas quetões. Eu fui Fur. mil. do Bat. 1930, que foi sustituido pelo Bat. 2890 Comp. 2608 na Canga, isto em Dezembro de 1969. Pois nessa dita Comp. tinha dois militares amigos e vizinhos. Que por acaso tenho fotos tirada no Quiende. Mas a questão principal é a colocação no devido sítio do Sr. General Luz Cunha militar que tive a honra de cumprimentar em Vila Real quando lá estava, num dia da unidade. Isto em 1966. E depois nos morros do MATOMBE ( QUEM SE LEMBRA DELES ? ) . O Sr. General sobrevoou de hélio. e desceu no simo do morro para falar connosco. Ele era simplesmente o chefe do Estado Maior General das Forças Armadas. Serve para esclarecer este pormenor. Um abraço a todos, e muita saúde. A.Vilela.

  10. estive em sao salvador entre 1970 e 1971 na BTR 513 como alferes
    foi o meu grupo que levou a gasolina dos helicopeteros de sao salvalor para Zau Evua numa operaçao imensa comandada pelo brigadeiro Alberty em 30/12/70 e depois fomos para o quartel da Canga resgatar ferido de uma emboscada

  11. Finalmente depois de tanto tempo, parece-me que encontrei alguem com quem tive contacto em S. Salvador. Era eu o condutor da Diamond que transportou a gazolina para os helicopeteros. Recordo-me que fizemos a viagem durante a noite. Um militar do vosso grupo quiz fazer-me companhia mas talvez o senhor alferes Machado, ou outro superior nao autorizou. O remedio foi fazer a viagem sozinho. Sou natural de Mirandela e rezidente em França. Obrigado e um abraço.

    • Camarada em que ano foi? tambem la estive e recordo muito bem da velha Diamond

      • Camarada joao alberto a minha presença em S. Salvador como condutor da velha Diamond foi desde 16 de Agosto de 1970 ate finais de 1971. Ainda me recordo da matricula da diamond que me estava distribuida MG-99-30. Obrigado pela atençao que deu a minha mensagem. Fico muito satisfeito por encontrar alguem que trepou as mesmas terras. Jose Araujo mais conhecido pelo MIRANDELA Um abraço

  12. nao fui eu que nao te autorizei
    eu recebi a ordem diretamente do Comando da RMN( foram na BTR por volta da meia noite) e os camioes com gasolina estacionaram perto da BTR e saimos logo de manha bem cedo. Chegámos a Zau Evua perto do meio dia, almoçamos e retornámos pelas 14hoo
    No dia seguinte fomos para Mamarrosa e serra da Canga resgatar um grupo que tinha sido atacado à noite com 9 0u 10 feridos graves e 2 viaturas incendiadas e voltamos para sao salvador no inicio da noite

    • a todos que passarão pur a zona de ST SALVADOR DO ZAIRE
      e que através deste blogue nos fazen lembrar sitios que ficarão
      gravados na nossa memoria quero deixar un obrigado
      tamben eu pur là passei desde a canga à luvaca de 1969 a1971
      companhia de caçadores 2608 BT.2890

      • Estive em S.Salvador do Congo de 8/69 a 8/71,fiz parte do Com.Agr.2965,passei ali dois dos melhores anos da minha vida,não estou arrependido. Encontrei lá alguns amigos e confesso iria lá de novo, mas os ossos são um problema.

  13. Conheci a LUVAKA, onde dormi uma noite de passagem numa coluna de S. Salvador para Maquela do Zombo. Eu era o condutor da unica DIAMOND da coluna. A data nao me recordo, talvez nos principios de 1971. A companhia que ocupava o acampamento parece-me que era a 2608. Nunca me esqueço que tive a agradavel surpresa de la encontrar dois grandes amigos naturais de MIRANDELA chamados Manuel Mauricio e o Joao Grilo. Para reavivar a memoria digo-lhe que o Joao Grilo pertencia ao pelotao do rapaz que morreu pelo rebentamento de uma mina anti-pessoal. Um abraço.

  14. A minha companhia, onde fui alf. miliciano – C.ART.3447 (Luvaca) (do B.ART. 3859 Cuimba) foi render a vossa Companhia de Caçadores 2608 – Luvaca (do B.CAÇ. 2890 Cuimba). Fizemos a sobreposição das companhias de 06 a 15 DEZ1971. Bem que gostava de ter fotos dessa sobreposição. Quem queira partilhar, agradecendo desde já, aqui fica o contacto humb_fern@netcabo.pt

  15. Ola camarada jose antonio araujo. foi para min uma grande
    satisfação au dizerme que quando passou pela Luvaca encontrou
    un amigo que se chamava João Grilo e o Mauricio quero dizerhl que
    o Grilo, era do meu grupo e da minha secção era_mos bons camaradas
    ainda hoge esteve a ver fotografias desse tempo en que ele està present
    eria para min un grande praser poder contactàlo. como a maior parte da
    nossa generação vivo en frança e talves por essa rason perdi os contactos
    se através destes meios pudermos recordar esses tempos é sempre bon

  16. Camarada Jose Vieira, é com grande satisfaçao que respondo à sua mensagem para lhe dar uma boa noticia. Pois o Grilo tambem vive em França na regiao da champanhe.Eu tambem vivo em França nao muito longe do Grilo, e como somos grandes amigos vizitamo-nos frequentemente. O Mauricio ja nao està entre nos, pois morreu de acidente de carro pouco tempo depois de regressar de Angola. Um abraço.

  17. Camarada Jose Araujo percorrendo de novo este blogue encontrei a mensage
    onde me informa que o camarada João Grilo vive na região de champanhe
    eu vivo no sul da França a Perpignan mas talvez un dia nos possamos
    encontrar por as férias en Portugal eu vou là todos os anos e ainda à dois anos
    esteve en Mirandela sou de Viana do Castelo o meu aqui fica o meu contacto
    vieirajose 66@gmail.com un abraço e tamben para o Grilo se tiver a ocasião de o encontrar

  18. alferes Machado diz-me algo.Foii camarada do alferes Archer e como comandante capitao Cardoso?Se sim tenho fotos. 1. cabo Moutinho-radiotelegrafista-ano 1970.

    • caro camarada , sou eu mesmo .na epoca comandava o terceiro pelotao e o capitao era o Antonio Jorge cardoso, Caso tenhas fotos que me me possas diponibilizar vou agradecer-te de coraçao
      me mansda para alfamike687@gmail.com
      foi um grande prazer e muita alegria encontrar um camarada de sao saovador aqui
      abraços

  19. nao foi 1970 mas 1971

  20. gostava que o pessoal que esteve no p.a.d. 1049 deixasse o seu contacto o meu é 919070313

  21. p.a.d. 1049. Qual a data da estadia em S. Salvador? Eu estive no comando de sector junto a pista,de 16 de agosto de 1970 ate fins de 1971. Fui um dos condutores das diamondes da secçao de transportes. Regressei ao B.I.A. no Grafanil onde permaneci ate ao dia 22 de Setembro, data em que regressei a Metrpole. Um abraço.

    • @jose antonio araujo,
      o meu tempo de sao salvador foi de novembro de 65 a janeiro de 68 pois paçarão muitos adidos de várias compahias pelo p.a. d.

    • José Antônio durante minha missão na Fap em São Salvador tinhamos muita ligação e contato com Comando ali do lado da base e me lembra bem do Major Melo Antunes. Lembra dele? Abc
      José Manuel Melo Reboredo ( eu era conhecido como Melo ) anos de 1969 a 73.

  22. Obrigado, com votos de muitos anos de vida e muita, mas muita saude.

  23. Estive em S .Salvador desde Agosto/69 a Agosto/71 na 2ª seção do Comando Agrupº2965 entregue aos pedidos de viagem (NORD ATLAS) na minha condição de simples cabo escriturário.
    Gostaria de um dia ter o previlégio de voltar a( S.Salvador-agora M’Banza Congo,) mas como os anos vão avançando e o peso dos
    ossos nos vão imobilizando, é escura a possibilidade de ali voltar. recordo com saudade os dias ali passados em franca camara-
    dagem, e perfeita concórdia familiar.
    Em Vila Flor-Bragança, há sempre portas abertas, assim espero que um dia um de vocês se lembre de passar, e falar.

  24. Antonio Alexandre: Com grande satisfaçao ,encontro alguem que esteve no mesmo Comando de setor Zaire em S. Salvador .Cheguei a S. Salvador no dia 16 de Agosto de 1970 e la permaneci ate fins de 1971. Fui condutor de Diamond da scçao de transportes cujo dormitorio se situava a entrada do no lado esquerdo junto dos cozinheiros. A maior satisfaçao que sinto neste momento e que somos vizinhos em portugal .Sou natural de Miradeses freguesia de Val de Salgueiro concelho de Mirandela,e a minha residencia nas ferias e em Mirandelaonde construi casa mais precisamente no bairro a saida para Vila Flor junto a Av.25 de Abril. Actualmente resido em França mas no verao vou sempre a Portugal.Em S. Salvador tinha bons amigos trasmontanos lembro-me do Ramiro e do Magalhaes do pelotao de morteiros, e um furriel que nao me lembro o nome natural da Torre D. Chama e se nao me engano pertencia a secretaria do comando. Agora pergunto eu:Como e possivel nessa data juntos no mesmo sector nunca nos chegamos a conhecer? Vamos ter essa oportunidade talvez no proximo verao e quem sabe programar uma viagem a S.Salvadr. Um abraço.

  25. Estive em S. Salvador do Congo no Comando de Agrupamento 1987 (Comando do Sector) de Agosto de 1967 a Setembro de 1969. Era o Oficial de Transmissões do Sector. Gostava de saber as referências do Alferes de Transmissões do Sector, que me rendeu em Agosto de 1969, julgo que será o Comando de Agrupamento 2965.Agradeço. Regressei a Mirandela para gozar os dias que vamos viver. Vou a Vila Flor no Verão -Piscinas.
    Sérgio Abílio Carneiro – Alf TM 10679/65.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s