O Luvo em 2011

2 comentários

Deambulando pela net encontrei há dias um blog de um motard português que percorreu o continente africano e que na sua passagem de Angola para a RDC pernoitou no posto fronteiriço do Luvo, onde estivemos em 1972/73.

 A transcrição do relato do autor:
Trajecto Mbanza Congo – fronteira do Luvo

Não foi difícil arranjar um espaço seguro onde passar a noite: depois de falar com o responsável da migração, já com o carimbo de saída de Angola no passaporte, este arranjou-me um espaço para colocar a tenda, junto da sua residência.

Optei por passar a noite em solo angolano, em vez de atravessar para a RDC, pois ainda me restava uns kwanzas no bolso e seria sempre mais agradável que passar a noite na migração do “outro lado”.
Previa que no dia seguinte as coisas fossem bastante demoradas, no mínimo, e queria começar as formalidade da entrada assim que os portões abrissem.
Assim, às 8:30 da manhã, com tempo de sobra para arrumar tudo e comer alguma coisa, saí finalmente de Angola e entrei na estrada que dá acesso, passando o Rio Luvo, à RDC.
Com algumas fotos que colhi do blog aqui vai um pequeno vídeo com fotos do Luvo:
Muito diferente do Luvo que conhecemos, eu bem tentei em cada foto vislumbrar alguma construção daquele tempo, mas parece-me que só na última foto, do lado esquerdo, o edifício será a traseira do que foi a messe dos oficiais e sargentos.
Precisam-se olhos de lince para encontrar algo que nos seja familiar, o desafio está lançado aos ex-combatentes que estiveram naquele local e queiram comentar estas fotos.
Agradeço ao autor das mesmas, Gonçalo B. que pode conhecer clicando AQUI.
Mário Mendes

2 thoughts on “O Luvo em 2011

  1. As árvores ainda se devem manter, mangueiras havia muitas, alguns edifícios, mesmo sendo de pedra e bons certamente foram demolidos por serem símbolos do colonialismo (administrador, guarda fiscal, DGS).

  2. Só o que reconheço são as vastas paisagens. A foto de abertura parece ser a saída para o Congo. Por mais que tente reconhecer o mais simples pormenor, nada. O fotógrafo não estava a fazer reportagem para nós, mas lá que convinha, convinha…Ainda bem que estás atento, e continua com o teu excelente trabalho.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s