Lança Granadas Foguete

1 Comentário


Talvez fosse a arma menos utilizada pelos portugueses na guerra colonial, mas fazia também parte do “arsenal” e merece aqui também uma referência.

Mais conhecida por bazuca no meio militar, nome que advém do inglês bazzoca, é de origem americana, sendo os primeiros modelos fabricados em 1942.

Mede 153 cm, pesa 5,9 Kg, o alcance máximo é de 150/200 metros e a velocidade da granada atinge os 160 metros por segundo.

É constituída basicamente por um tubo calibre 8,9 cm, um aparelho de mira e um sistema eléctrico (pilhas) de disparo accionado por um gatilho e que provoca a ignição do propulsor da granada.

Tinha um grande poder explosivo e também perfurante pelo que era indicado para destruição de veículos que o in. não tinha.

Os movimentos de guerilha utilizavam o RPG-7, lança granadas foguete de origem soviética.

Conforme se observa na foto, esta acção foi mesmo para o “olha o passarinho”. Este local era palco de muitos reconhecimentos e nomadizações por parte da nossa companhia e fica no cruzamento das picadas com destino ao Luvo e à Canga, depois de passar o rio Lucossa quando se vem de São Salvador do Congo.

Aqui está o cruzamento com a placa de madeira que indicava as distâncias quilométricas e que no dia 2 de Fevereiro de 1973 foi queimada pelo in. Alguns km mais à frente uma Berliet deflagrou uma mina anti-carro que provocou 4 feridos.

Outro episódio que recordo neste local foi que um determinado dia quando descansávamos à sombra de umas mangueiras que ali existiam, lançamos fogo ao capim e algum tempo depois deu-se um rebentamento. Armas em riste, mas nada, o que teria acontecido? Pois bem tinha rebentado um cinto de carregadores de G3 consumido pelas chamas, que certamente algum militar algum dia ali tinha deixado esquecido. Ali era paragem obrigatória para as colunas que da capital do Zaire retornavam aos seus aquartelamentos (Canga, M´Pozo, M´Pala, Nóqui, Mamarrosa, Luvo).

NR: O Penedo a municiar, o Mendes a apontar, e os outros quem são? O Martins (Cartaxo) está a meio e mais? Pessoal da C.Caç. 3413 vamos por os neurónios a trabalhar!

Mário Mendes

One thought on “Lança Granadas Foguete

  1. Para que conste, o dito cinturão com as munições eram dum maçarico que foi render os da Canga. Soube porque o tal dito cujo, quando em coluna para a Canga, deixou-os cair com a coluna em movimento, e ninguém parou. Passados uns dias vieram á Mamarrosa. Se bem te lembras, deixávamos os cinturões com as armas á porta dos nossos quartos. E o maçarico desenrascou-se á minha custa, levando o meu cinturão com os carregadores, porta granadas e as respectivas, e ainda um dilagrama, que eu transportava sempre.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s