Maiores e Vacinados.

1 Comentário

No ano do cumprimento dos 20 anos de idade todos os mancebos iam à inspecção militar e esse dia era também designado como o dia das “sortes”, para saber se iam à tropa ou não.

Feita a inspecção militar num quartel próximo ou na Câmara Municipal, a rapaziada regressava à sede da sua freguesia para um dia de festa com muita animação, percorrendo as ruas ao som de concertinas e pandeiretas. Os que tinham ficado “apurados” traziam na lapela uma fita verde e vermelha, outros traziam uma fita amarela, que queria dizer que tinham ficado “de espera” (teriam que voltar à inspecção no ano seguinte) e finalmente aqueles que traziam uma fita branca, porque tinham ficado “livres”.

Não ir à tropa no tempo da guerra colonial era uma grande sorte, mas em tempos anteriores, a tropa significava para muitos a possibilidade de fugir à vida difícil que representava o trabalho nos campos e por isso era uma enorme alegria o facto de terem ficado “apurados”. Eram outros tempos e como se dizia na altura, a tropa preparava a rapaziada para a vida. Na verdade os primeiros anos da maioridade eram passados na tropa, (eu cumpri lá 4 aniversários, do 21º ao 24º).

A minha inspecção ocorreu no ano da graça de 1969 e com a guerra em África no auge, já todos sabíamos o que nos esperava e por isso não houve “livres”, nem “de espera”, todos (11 no total) levaram o rótulo “apurado”. No ano seguinte, já maiores e vestidos de militar não mais pudemos “fugir com o rabo à seringa”, ganhando assim o estatuto de “maiores e vacinados”.

A primeira “picadela” aconteceu no dia 23/08/1970, no RI5, Caldas da Rainha, contra a varíola. O reforço desta vacina foi em Angola, a 09/08/1973, cerca de 2 meses antes de regressar.

Em 20/07/1971, no RI11, Setúbal foi a vez da vacina contra a febre amarela, 11 dias antes do embarque.

A outra vacina que consta do certificado é a da cólera, que teve a primeira inoculação em 31/01/1972 e reforços em 16/02/1972 e 04/09/1972, todas tomadas em território angolano.

Mário Mendes

One thought on “Maiores e Vacinados.

  1. Sarampo
    O sarampo é doença muito contagiosa, ou seja, é uma doença que passa de uma pessoa para outra com muita facilidade. Isso acontece quando o doente de sarampo tosse, espirra, fala ou mesmo respira; pois, o micróbio do sarampo fica no nariz e na garganta do doente.
    A doença começa como se fosse um resfriado comum: a criança tem febre, tosse, coriza (o nariz fica escorrendo) e conjuntivite (olhos vermelhos). Alguns dias depois, aparecem pequenas manchas vermelhas pelo corpo, começando atrás das orelhas, no pescoço, no rosto, passando para o resto do corpo, pernas e braços.
    Mas, o sarampo não é apenas isso. A doença é grave e deixa o corpo fraco. Essa fraqueza facilita o aparecimento de inflamação no ouvido, pneumonia e diarréia.
    Poliomielite (Paralisia Infantil)
    A Poliomielite, também chamada paralisia infantil, é uma doença grave causada por um micróbio que entra no corpo da pessoa sadia pela boca.
    É uma doença que passa de uma pessoa para outra com muita facilidade. O Micróbio sai do corpo do doente principalmente pelas fezes, ou ainda quando o doente tosse, espirra ou fala.
    A poliomielite começa como se fosse um resfriado. A pessoa tem febre, vomita e sente dores no corpo. Na maioria das vezes, a doença fica só nisso; não se agrava. Mas, Mesmo que o doente não piore, está espalhando o micróbio da doença.
    Algumas vezes, o micróbio entra o corpo da pessoa, e a doença pode se agravar e aparecer a paralisia de uma perna ou de outras partes do corpo. Nesses casos, quando o doente não morre, fica paralítico ou defeituoso.
    Difteria (Crupe)
    A difteria, também conhecida como crupe, é uma doença que começa como se fosse um resfriado, a criança tem dor de cabeça e de garganta.
    O micróbio da difteria pode atacar a garganta (amigdalas, faringe, laringe) e o nariz e, nesses lugares pode surgir uma placa esbranquecida, o pescoço pode ficar inchado e duro, o hálito (bafo) cheira mal. A criança fica pálida e mole. A micróbio pode atacar também o coração e outras partes do corpo, a criança fica com a fala diferente e com dificuldade para respirar.
    Coqueluche (Tosse braba)
    A coqueluche, também conhecida como “tosse braba”, é uma doença muito comum na infância. Começa como se fosse uma gripe, a criança tem febre e apresenta secreção nasal.
    Quando a doença se agrava, a tosse vai ficando mais forte. A criança tem crises repetidas de tosse e, no final da crise, respira com um assovio forte, como se fosse um “guincho”. Quando a criança tem esses acessos pode vomitar uma gosma. O período dessas crises de tosse pode durar de um a dois meses ou mais.
    A coqueluche se espalha e ataca outras pessoas quando o doente tosse, espirra ou fala.
    Â coqueluche é uma doença grave porque a tosse repetida, o choro e a febre enfraquecem a criança, ela pode piorar e vir a morrer de pneumonia.
    Tétano
    O tétano é uma doença que não passa de uma pessoa para outra. O micróbio que causa a doença vive na terra, na poeira da rua, nas fezes de animais, principalmente cavalo.
    Qualquer pessoa, em qualquer idade, pode pegar o tétano quando se fere com pregos, latas velhas, vidros e arame contaminados.
    Mesmo os ferimentos causados por objetos que parecem limpos (agulha, tesoura, espinho de planta), podem estar com o micróbio da doença.
    Quando o micróbio do tétano entra no corpo da pessoa, por qualquer um desses ferimentos alguns dias depois os músculos ficam duros principalmente os do queixo e a pessoa não consegue abrir a boca, nem engolir. À medida que a doença agrava a pessoa fica irritada e sente muita dor. O barulho, a claridade ou um movimento com o doente fazem com que seu corpo se estique todo.
    O tétano que ataca a criança pequena (recém-nascida) é conhecido como tétano umbilical ou “mal-de-sete-dias”. Ele acontece quando o umbigo da criança não é bem cuido, ou seja, quando o cordão umbilical foi cortado com tesoura que não foi fervida, ou quando a pessoa coloca teia de aranha, fumo ou fezes de animal no umbigo da criança.
    Quando o tétano ataca o recém-nascido, ele deixa de comer, pois tem dificuldade paa chupar o seio ou a mamadeira. Além disso, chora sempre e fica com as pernas esticadas e os braços dobrados junto ao peito, com as mãos fechadas.
    Para evitar o tétano no recém-nascido, é preciso vacinar toas as mulheres grávidas com o toxóide tetânico.

    Tuberculose
    É uma doença contagiosa cusada por um micróbio chamado bacilo de koch.
    O contágio se dá do doente para a pessoa sadia, quando ou ela tosse ou ela respira. As pessoas que moram, trabalham ou estudam com pessoas doentes tem mais facilidades de adoecerem.

    Vacinas
    Vacinas iniciar com: Nº de doses observações
    contra a poliomielite (paralisia Infantil) 2 meses 3 Nas campanhas vacinar a partir do Nascimento. Disponível em toda a rede de serviços.
    Contra a Difteria, o tétano e a Coqueluche (Tríplice-DTP) 2 meses 3 Disponível em toda a rede de serviços. A partir dos 7 anos aplicar a dupla adulto(dt)
    Contra o Sarampo 9 meses 1 Disponível em toda a rede d serviços. Dose adicional deve ser dada após os 12 anos
    Contra a Tuberculose(BCG) a partir do nascimento 1 Disponível em toda a rede de serviços. Dose adicional deve ser dada após os 6 anos.
    Contra o tétano Neonatal (Mal de 7 dias) e o Tétano Acidental a partir dos 7 anos 3 Vacinar nos municípios de risco as mulheres de 15 a 49 anos. Disponível em toda a rede de serviços. Vacinar a gestante e outros grupos
    Contra a Febre Amarela a partir dos 6 meses 1 Disponível em toda a rede de área de endêmica. Para viajantes vacinar 10 dias antes.
    Contra a Hepatite B a partir do nascimento 3 Disponível em todas a rede de área de endêmica.profissionais de saúde e grupo específicos devem ser vacinados

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s