Artesanato angolano

4 comentários

Os artesãos angolanos são bons mestres na arte de trabalhar o marfim e a madeira. Nos anos 70, a baixa de Luanda estava repleta de vendas ao ar livre onde se podiam adquirir as mais variadas peças deste artesanato.

Madeiras como o pau-ferro, pau-rosa e principalmente pau-preto que naquela época havia em grande quantidade em Angola, principalmente em Cabinda e no Zaire, eram as mais utilizadas no fabrico de peças, como animais, bustos e estatuetas, que muitos militares trouxeram para Portugal como recordação da sua estadia em África.

Actualmente muitas peças já são produzidas em madeiras mais leves e mais baratas, porque as madeiras nobres começam a escassear, e os turistas são muitas vezes “enganados” com imitações de madeira pintada com um produto chamado vioxene que dá à madeira uma cor preta, para imitar o pau-preto.

Esta peça, chamada “O pensador” é uma das mais famosas do artesanato em madeira e constitui um referencial da cultura angolana.

Representa a figura de um ancião, que pode ser um homem ou uma mulher. Concebida simetricamente, com a face ligeiramente inclinada para baixo, exprime um subjectivismo intencional,  porque em Angola, os idosos ocupam um estatuto privilegiado representando a sabedoria, a experiência de longos anos e o conhecimento dos segredos da vida.

O pensador tem a sua origem no nordeste de Angola, onde a etnia lunda-tchokwe usa o cesto de adivinhação chamado de ngombo, do qual o sacerdote adivinhador retira pequenas figuras esculpidas em madeira, as quais irão determinar a sorte do consulente.

Foram estas figuras que resultaram na mais famosa estatueta angolana, que aparece na filigrana das notas de kwanza, a moeda nacional.

Tal como, o “Zé Povinho” em Portugal, o “John Bull” em Inglaterra ou o “Tio Sam” nos Estados Unidos, “O pensador” é a figura emblemática do povo angolano (*)

(*) Portal de Angola

Da colecção que trouxe de Angola, no caixote de madeira, no porão do navio, aqui ficam duas fotos de peças de artesanato.

Mário Mendes


4 thoughts on “Artesanato angolano

  1. que saudades destas peças e muitas mais da minha terra linda

  2. A figura do pensador é muito interessante. Encontrei uma ao lado do contentor do lixo da minha rua e trouxe-a para casa onde preside a um grupo de outras peças africanas que tenho adquirido de várias outras formas. Ainda tem o selo com nº de ordem e só agora fiquei a saber o que representava. Ainda bem que perdi a vergonha e a salvei.
    Obrigado pelo seu comentário esclarecedor,
    M Silva

  3. aq nao consigo encontrar ne!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s