A Revolta da Baixa do Cassange

Este acontecimento ocorreu no dia 4 ou 6 de Janeiro de 1961 (a data não é precisa), e caracterizou-se pela sublevação dos trabalhadores da cultura do algodão.

A independência do ex-Congo Belga em 30 de Junho de 1960, reavivou o sentimento nacionalista dos angolanos,  e como na região viviam os bakongos, tribo que tinha raízes comuns no norte de Angola e no Congo, havia uma forte influência daquele país recém-independente, que incentivava os angolanos a revoltarem-se contra o poder colonial, porque se agora o Congo era independente, Angola teria também de o ser.

A baixa do Cassange é uma enorme depressão geográfica que vai da região de Malange às Lundas e a maioria dos trabalhadores era obrigada a cultivar algodão para vender à companhia luso-belga Cotonang. Nesse dia de Janeiro, decidiram fazer greve, armar-se de catanas e canhangulos e desafiar o poder colonial. O exército foi chamado para reprimir a sublevação e o resultado foi a morte de milhares  de pessoas.

Este episódio foi o rastilho para a guerra que se seguiria, porque no dia 4 de Fevereiro de 1961 foram assaltadas em Luanda, a Prisão de S.Paulo, a Casa de Reclusão Militar e uma Esquadra da Polícia Móvel. No dia 15 de Março desse ano, começou a luta armada em Angola que duraria 13 longos anos.

Passados 49 anos da chamada revolta da baixa do Cassange, o jornal angolano “O País” traz à estampa a notícia desse acontecimento, que pode ser lida no seguinte link:

http://opais.net/pt/opais/?id=1929&det=8567&mid

Mário Mendes

About these ads

5 pensamentos em “A Revolta da Baixa do Cassange

  1. Falta a referir a atuação das nossas tropas e as centenas de mortos que provocámos… Ou seja falta rigor… estamos perante uma meia verdade..

  2. o conteudo esta muito limitado nao nos da conteudo suficiente para un bon debate a serca da materia . mas ja e un bon comesso para uma informacao continui porque estas a contribuir para o conhecimento de muita gente

    • Porque foi um movimento expontaneo de trabalhadores revoltados com as condições de obrigatoriedade de plantarem algodão e a imposição dos preços pela empresa algodoeira.
      As NT castigaram os “rebeldes” com bombardeamentos de napalm e um assalto de uma companhia do exército comandada pelo “glorioso” Capitão Teles Grilo. Se esta reenvidicação fosse organizada pelo MPLA a data seria celebrada de outra forma… Atenção que foram muitas centenas de mortos…

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s